Uma Rotina Incasável – I

E ela disse: “Não, isso NÃO vai acontecer de novo!!”. Claro que aconteceu. Sempre que falamos, ou melhor, suplicamos para que algo não se repita, é justamente porque está prestes a se repetir, e falamos que não vai acontecer somente com a intenção de se iludir, pensar que a força das palavras vai evitar toda a sequência de acontecimentos patrocinados pela nossa querida lei de Murphy.

Era incrível, sempre se passava uma semana,e o carro quebrava, e chovia, ah, como chovia. Era começo de primavera, ela se irritava ao ver todas as pessoas felizes porque as flores estão abrindo, o ar está mais úmido, as crianças brincando depois de não poder sair de casa por todo o inverno.

Realmente, aquilo parecia horrível.

E lá vai ela, toda bela e comportada, tentando manter-se calma – os níveis de stress já a tinham levado 2 vezes para o médico esse ano – ligar para o seu pai pedindo socorro, com certeza, sua mãe não perderia a chance de lembra-lá que ainda não tinha um marido para o qual ligar.

Obviamente ela não tinha um seguro para o carro, e quando foi ligar para o seu pai, mais obviamente ainda, seu celular não tinha crédito. Aquilo era realmente a gota para completar uma segunda-feira, o melhor dia da semana.

Tentou ligar a cobrar algumas vezes, em vão, sua mãe sempre dizia: “Não atendo ligação a cobrar, é um absurdo uma pessoa querer me ligar e eu ainda ter que pagar.” Saiu na chuva, de vestido e salto para comprar um cartão e ir até o orelhão.

Ligou, seu pai que, sempre solícito, disse que já estava indo ao seu encontro, sua mãe puxou o telefone e disse: “Carro quebrado de novo? Só compra lata velha. Podia pelo menos ter um marido para ir te ajudar. Você realmente…”. Ela não ouviu o resto, desligou o telefone e resolveu ir para o carro esperar.

Do centro de São Paulo até o ABC, bom, ele devia demorar umas 2 horas, contando o trânsito. Agora era fazer o que? Sentar e esperar….
Tem certas coisas que ela não entendia, como por exemplo, o quanto as coisas tinham de dar errado até começarem a dar certo?

Ligou o rádio, nenhuma rádio pegava, estavam todas chiando muito e quando achou uma que funcionasse, tocava Calypso.

Desligou o rádio, e se encolheu, morrendo de vontade de chorar.


Queria tornar esses contos uma série, alguém tem sugestões de situações ou personalidade para nossa personagem?

Anúncios

Bloqueio pela Razão

Hoje tentei escrever.
Tentei novamente ter uma palavra na mente, e uma poesia na alma.
Não consegui.
Porque?

Há muito tempo tenho essa agonia… as palavras vêem,
Elas ficam martelando em minha cabeça.
Mas no final não fazem o menor sentido.

Comecei a pensar em grandes escritores, poetas, poetisas.
Como fazem para pegar aquele sentimento escondido por trás de cada palavra?
Será que é como ser um ator?
Onde se incoorpora o sentimento, e faz alguém acreditar nele?

Pensei, pensei… e  não cheguei a conclusões palpáveis.
Mas….
Conclusões palpáveis?

Minha mente agora retorna,
Se acalma,
Inspira,
E solta.

Sentimentos não são palpáveis, não há porque pensar assim.
Sentimentos não tem sentido, não há porque então uma poesia ser linear
Talvez a busca da razão para escrever
Seja o maio motivo para que eu não consiga fazê-lo.

Por: Patricia A. Bonfim
Se deseja copiar, não há problemas, mas, por favor,  referencie o autor.

O que é tão forte?

O que é tão forte
A ponto de me deixar triste
Por não estar tão feliz?

O que é tão forte
A ponto de apertar o peito
Fazer-me querer fechar os olhos
Cada vez mais apertados
Só para sentir cada lembrança?

O que é tão forte
Que me faz fazer bico
Que me faz falar como criança
Apenas para fazer vc me olhar e sorrir charmosamente,
como só vc sabe sorrir?

O que é tão forte
Que me faz querer dormir todo o tempo
Só para poder sonhar
Com seu cheiro
Com seu toque?

O que é tão forte?
Descubra…
E quando souber…
me conte…

Por: Patricia A. Bonfim
Se deseja copiar, não há problemas, mas, por favor,  referencie o autor.
Texto feito para o Leo, foi o tempo em que ele ficou em Curitiba, foram seis meses bem complicados.

Olhar para frente?

Olhe para frente.

O que você procura?

Algo que você não pode mais ter?
Tempos que não podem mais voltar?
Sentimentos que teimam em não cessar…

Reflita.

Há coisas lá nas quais você prefere não acreditar.
Pessoas que você sabe que desaparecerão
Objetos que se quebrarão.
Lembranças que machucarão.

Feche os olhos.
Abra-os novamente.
Vê algo?
Force suas vistas… tenho certeza de que há alguma coisa…

O que ficará?
Depois te tempos de decepção
Alegrias,
Multidão,
Solidão..
Amigos,
Namorados,
Queridos e
Inimigos

Não se desespere… também não consigo ver…
Não sei o que acontecerá…
Na verdade não sei, e talvez não queira saber…

Certezas são impossíveis
Embora cismem em acreditar que o impossível é que não possa acontecer.

Mas não tenha medo…
É ele que faz de você fraco
Que faz você querer enxergar…
Que faz você acreditar em algo que simplesmente não existe
Ou que faz você acreditar em algo que simplesmente AINDA não exista

Mas relaxe
E não se desespere… pois também não consigo ver…
Também não sei o que acontecerá…
É, na verdade não sei, e talvez nem queira saber…

Mas pense assim, podemos planejar…
Podemos querer..
Podemos desejar…
E se vc desejar estar comigo… Também desejarei estar com você…

Por: Patricia A. Bonfim
Se deseja copiar, não há problemas, mas, por favor,  referencie o autor.
Este foi o primeiro texto que escrevi para o Leo, especificamente para ele, significa muito, é minha mudança de vida, de pensamentos, de comportamento… sou eu apaixonada, amando muito mais do que eu poderia imaginar…

Histería

Shii, o vento sopra
Pede silêncio, insistentemente
Shii, mais forte
Calem-se…
Meus olhos secam
Shii, não reclame, continue a andar.
O barulho não pára
O barulho não pára…
Tapo meus ouvidos
de nada adianta
Quero gritar…
Não consigo, o vento pede silêncio
O mundo pede silêncio
Minha cabeça dói
Shii, peço silêncio aos meus pensamentos
Nada faz sentido
Nem muito bom, nem muito ruim
Nem muito claro, nem muito confuso
nem muito quieto, nem muito barulhento
Somente sem sentido…
Os pensamentos não se calam
O mundo pode pedir
A vida pode pedir
Até mesmo o poderoso vento…
Pode pedir
O barulho não pára
Os pensamentos não se calam

Por: Patricia A. Bonfim
Se deseja copiar, não há problemas, mas, por favor,  referencie o autor.