Livro: A Batalha do Apocalipse – Eduardo Spohr

Título do Livro: A Batalha do ApocalipseA Batalha do Apocalypse
Título Original: A Batalha do Apocalipse
Autor: Eduardo Spohr
Série:
Gênero: Fantasia, Ficção
Editora: Verus
Páginas: 586
Valor: R$39,90

Este livro já começou me encantando, pois é um título BRASILEIRO, e já que temos uma escassez de livros desse gênero na literatura nacional,  me despertou a vontade de ler.
Na verdade faz mais de ano que queria ler esse livro, mas não sei bem o porquê só comprei agora.

Depois da criação do mundo, Deus descansa durante um período que é chamado de Sétimo Dia. Ao contrário do que muitos acreditam, o Sétimo Dia não passou, estamos vivendo ele, e quando acabar será o momento do Apocalipse, do Acerto de Contas.
Durante seu descanso, Deus passa o “governo” do mundo aos seus primeiros filhos, os arcanjos Miguel, Rafael, Uziel, Gabriel e Lúcifer.
Com o passar dos séculos, os arcanjos passam a desenvolver um ciúme enorme dos seres humanos, pois tanto eles quanto as outras criaturas celestiais, como os anjos, foram criados por Deus dotados de uma natureza, e é esta natureza que direciona sua vida e suas ações, um anjo criado para a guerra, jamais se tornaria um estudioso. Já na criação dos seres humanos, Deus concedeu-lhes o livre arbítrio, deixando-os libertos para decidirem sempre o que querem fazer, sem serem permeados por qualquer força maior. Um humano pode tomar uma decisão e mudar seu destino, um anjo não.

Por causa deste ciúme e da corrupção que começa a aparecer entre os humanos, os arcanjos passam a mandar cataclismas para exterminar a humanidade.

Alguns anjos que não concordam com o extermínio de uma espécie criada pelo Altíssimo, criam uma revolução contra os arcanjos. Se aliam a Lúcifer, porém são traídos por ele, são descobertos, expulsos do céu e renegados, passando a viver em meio aos humanos, aguardando o final dos dias.

Chega o momento do Apocalipse, o dia do despertar do Altíssimo. O único sobrevivente entre os anjos revolucionários, o general Ablon, passa a ser uma chave para o desenrrolar do grandioso evento. Alianças se formam entre os celestiais, arcanjos são mortos ou somem, e em meio tudo isso, a humanidade se destrói em uma guerra com armas nucleares que matam milhares.

O livro é uma mistura primorosa de ficção e história real. Para quem gosta de história da humanidade, como eu, é prato cheio, dá até uma inveja de um ser celestial que pode viver tantos anos. Viaja dos tempos da antiga Babilônia, passa pelo Império Romano e chega até os dias atuais.
As descrições dos lugares e pessoas são muito dignas, mas para quem procura uma leitura mais leve pode cansar um pouco. A história não é nada linear, vai e volta no tempo durante todo o livro, mas nada fora de contexto, sempre buscando chegar ao ponto alto: o Apocalipse.

Uma das coisas que eu mais gostei foi a “falta de pudor” do autor em citar e trabalhar com elementos bíblicos com os quais muitos têm problemas em lidar, ele envolve os acontecimentos como o nascimento de Jesus, de forma muito natural, sem ter medo de ser feliz. Além de deixar muito claro como as religiões convergem para um mesmo Deus. Religiosos mais fervorosos podem se irritar com algumas passagens.
Talvez o que menos tenha me agradado é o execesso de rebuscamento na linguagem, mas também não é fora de contexto, e encaixa bem na história.

O livro é pura ação- não digo do início ao fim pois o primeiro capítulo ainda é bem tranquilo – , se fosse um filme seria daqueles que você fica tenso quando está sentado na cadeira do cinema. Mas não se engane, o livro também é romântico e digno de super-herói, cheio de senso de honra e justiça, mas nosso personagem principal é um anjo, e essa é a natureza dele.

Minha avaliação: Vale a pena cada centavo. Não tenho dúvidas que em nada deixa a desejar a Best Sellers internacionais que já li. Agrada a todos os públicos que curtem esse gênero.
4 estrelas

Anúncios