Livro: A Hospedeira – Stephenie Meyer

Título do Livro: A HospedeiraA Hospedeira
Título Original: The Host
Autor: Stephenie Meyer
Série:
Gênero: Ficção Científcia – Romance
Editora: Instrínseca
Páginas: 557
Valor: R$9,90 – Promoção Submarino

O mundo está mudado, não há mais guerras, nem assassinatos, nem fome e a sociedade enfim convive em paz e harmonia. Obviamente, isso não foi obra dos seres humanos. Alienígenas que se denominam, em nossa língua, somente como Almas, utilizam agora o corpo de seres humanos como hospedeiros para sobreviverem.

As Almas não se consideram ruins. Não é de sua natureza fazer nada que agrida ou prejudique outro. Em sua concepção, estão apenas colonizando um mundo que selvagens – os seres humanos – estavam destruindo.

Melanie Stryder é uma selvagem. Como ainda não foi capturada e nenhuma Alma foi introduzida em seu corpo, se torna uma das poucas sobreviventes. Quando ela é capturada tem certeza que será o fim, e tenta se matar, afinal, nenhuma Alma será introduzida em um corpo morto.

O suicídio é um fracasso, e uma Alma chamada Peregrina é introduzida em seu corpo. A questão é que Melanie é tão forte que mesmo com uma outra consciência controlando seu corpo, ela ainda é capaz de sobreviver, e passa a conviver junto com Peregrina. Duas consciências, um mesmo corpo.

Melanie quer procurar as pessoas que deixou para trás, Jamie, seu irmão mais novo, e Jared, o homem que ao aparecer, trouxe uma nova perspectiva de vida para ela. Peregrina por sua vez se vê em um corpo cheio de sentimentos fortes, lembraças vívidas e com sentidos que ela jamais imaginou ser possível, mesmo com a larga experiências de vida em outros 8 planetas.

Com o tempo Peregrina passa a ter como dela todos os sentimentos de Melanie, todos os medos, anseios e todo o amor por outros seres humanos.

Elas acabam criando uma improvavél amizade, pois possuem o mesmo objetivo, proteger as pessoas que amam. Elas quase morrerem no deserto à procura de um possível abrigo onde Jared e Jamie estariam, até que o encontram, mas quantos acreditarão que Melanie ainda está consciente dentro de seu corpo?

A maior parte da história se passa quando Melanie e Peregrina se encontram com os humanos no abrigo, e lá é onde os acontecimentos se desenrrolam.

O livro mistura ficção-científica com romance, confesso que nunca havia visto temas como esses se enrrolarem tão naturalmente. Devido às duas consciências no corpo de Melanie Stryder, em muitos momentos mesmo se referindo à primeira pessoa, é utilizado o plural, o que deixa muito claro o que são ações que as duas personagens compartilham e quando os pensamentos são exclusivos de Melanie ou de Peregrina.

Conforme a história é desenvolvida o leitor é cada vez mais apanhado por uma simpatia por Peregrina, a personagem que talvez, a primeira vista, seria a grande vilã. E acaba sendo isso a dar o grande barato do livro, pois Peregrina é, sem dúvida, uma personagem maravilhosa, assim como Melanie. Se é justo que Melanie viva com o seu corpo, então é justo que Peregrina morra?

Para complicar a situação, dentre os humanos que estão no abrigo há Ian, que com o tempo se sente cada vez mais próximo de Peregrina pelo que ele conhece da alienígena, gerando ciúme em Jared, que apenas vê o corpo de Melanie e não a consciência alienígena que também habita alí. Dois homens, cada um apaixonado por uma consciência, que habita um mesmo corpo.

Embora o livro tenha toda essa dinâmica, não é o mais maravilhoso livro já lido. Não é “viciante”, da maneira que gosto de livros, quando você quer ler a história de uma maneira, que até sonha com ela, isso quando consegue dormir. Ele acaba sendo um livro mais romântico do que de ficção científica, depois que nos acostumamos com a questão de duas consciências em um corpo quase nada pode ser classificado como este gênero

Minha avaliação: Um livro legal para se passar um tempo gostoso de leitura, mas sem grandes emoções. Daria um bom fime/ série de TV, talvez não pela história em si, mas sim personagens apaixonantes.
3 estrelas

Em tempo: A capa do livro já dá a dica de que é da mesma escritora da saga “O Crepúsculo”, porém acredito que essa obra seja infinitamente melhor do que essa saga. Com personagens mais bem construídos e com uma proposta de ambientação muito melhor.

Anúncios

Livro: A Batalha do Apocalipse – Eduardo Spohr

Título do Livro: A Batalha do ApocalipseA Batalha do Apocalypse
Título Original: A Batalha do Apocalipse
Autor: Eduardo Spohr
Série:
Gênero: Fantasia, Ficção
Editora: Verus
Páginas: 586
Valor: R$39,90

Este livro já começou me encantando, pois é um título BRASILEIRO, e já que temos uma escassez de livros desse gênero na literatura nacional,  me despertou a vontade de ler.
Na verdade faz mais de ano que queria ler esse livro, mas não sei bem o porquê só comprei agora.

Depois da criação do mundo, Deus descansa durante um período que é chamado de Sétimo Dia. Ao contrário do que muitos acreditam, o Sétimo Dia não passou, estamos vivendo ele, e quando acabar será o momento do Apocalipse, do Acerto de Contas.
Durante seu descanso, Deus passa o “governo” do mundo aos seus primeiros filhos, os arcanjos Miguel, Rafael, Uziel, Gabriel e Lúcifer.
Com o passar dos séculos, os arcanjos passam a desenvolver um ciúme enorme dos seres humanos, pois tanto eles quanto as outras criaturas celestiais, como os anjos, foram criados por Deus dotados de uma natureza, e é esta natureza que direciona sua vida e suas ações, um anjo criado para a guerra, jamais se tornaria um estudioso. Já na criação dos seres humanos, Deus concedeu-lhes o livre arbítrio, deixando-os libertos para decidirem sempre o que querem fazer, sem serem permeados por qualquer força maior. Um humano pode tomar uma decisão e mudar seu destino, um anjo não.

Por causa deste ciúme e da corrupção que começa a aparecer entre os humanos, os arcanjos passam a mandar cataclismas para exterminar a humanidade.

Alguns anjos que não concordam com o extermínio de uma espécie criada pelo Altíssimo, criam uma revolução contra os arcanjos. Se aliam a Lúcifer, porém são traídos por ele, são descobertos, expulsos do céu e renegados, passando a viver em meio aos humanos, aguardando o final dos dias.

Chega o momento do Apocalipse, o dia do despertar do Altíssimo. O único sobrevivente entre os anjos revolucionários, o general Ablon, passa a ser uma chave para o desenrrolar do grandioso evento. Alianças se formam entre os celestiais, arcanjos são mortos ou somem, e em meio tudo isso, a humanidade se destrói em uma guerra com armas nucleares que matam milhares.

O livro é uma mistura primorosa de ficção e história real. Para quem gosta de história da humanidade, como eu, é prato cheio, dá até uma inveja de um ser celestial que pode viver tantos anos. Viaja dos tempos da antiga Babilônia, passa pelo Império Romano e chega até os dias atuais.
As descrições dos lugares e pessoas são muito dignas, mas para quem procura uma leitura mais leve pode cansar um pouco. A história não é nada linear, vai e volta no tempo durante todo o livro, mas nada fora de contexto, sempre buscando chegar ao ponto alto: o Apocalipse.

Uma das coisas que eu mais gostei foi a “falta de pudor” do autor em citar e trabalhar com elementos bíblicos com os quais muitos têm problemas em lidar, ele envolve os acontecimentos como o nascimento de Jesus, de forma muito natural, sem ter medo de ser feliz. Além de deixar muito claro como as religiões convergem para um mesmo Deus. Religiosos mais fervorosos podem se irritar com algumas passagens.
Talvez o que menos tenha me agradado é o execesso de rebuscamento na linguagem, mas também não é fora de contexto, e encaixa bem na história.

O livro é pura ação- não digo do início ao fim pois o primeiro capítulo ainda é bem tranquilo – , se fosse um filme seria daqueles que você fica tenso quando está sentado na cadeira do cinema. Mas não se engane, o livro também é romântico e digno de super-herói, cheio de senso de honra e justiça, mas nosso personagem principal é um anjo, e essa é a natureza dele.

Minha avaliação: Vale a pena cada centavo. Não tenho dúvidas que em nada deixa a desejar a Best Sellers internacionais que já li. Agrada a todos os públicos que curtem esse gênero.
4 estrelas