Livro: A Hospedeira – Stephenie Meyer

Título do Livro: A HospedeiraA Hospedeira
Título Original: The Host
Autor: Stephenie Meyer
Série:
Gênero: Ficção Científcia – Romance
Editora: Instrínseca
Páginas: 557
Valor: R$9,90 – Promoção Submarino

O mundo está mudado, não há mais guerras, nem assassinatos, nem fome e a sociedade enfim convive em paz e harmonia. Obviamente, isso não foi obra dos seres humanos. Alienígenas que se denominam, em nossa língua, somente como Almas, utilizam agora o corpo de seres humanos como hospedeiros para sobreviverem.

As Almas não se consideram ruins. Não é de sua natureza fazer nada que agrida ou prejudique outro. Em sua concepção, estão apenas colonizando um mundo que selvagens – os seres humanos – estavam destruindo.

Melanie Stryder é uma selvagem. Como ainda não foi capturada e nenhuma Alma foi introduzida em seu corpo, se torna uma das poucas sobreviventes. Quando ela é capturada tem certeza que será o fim, e tenta se matar, afinal, nenhuma Alma será introduzida em um corpo morto.

O suicídio é um fracasso, e uma Alma chamada Peregrina é introduzida em seu corpo. A questão é que Melanie é tão forte que mesmo com uma outra consciência controlando seu corpo, ela ainda é capaz de sobreviver, e passa a conviver junto com Peregrina. Duas consciências, um mesmo corpo.

Melanie quer procurar as pessoas que deixou para trás, Jamie, seu irmão mais novo, e Jared, o homem que ao aparecer, trouxe uma nova perspectiva de vida para ela. Peregrina por sua vez se vê em um corpo cheio de sentimentos fortes, lembraças vívidas e com sentidos que ela jamais imaginou ser possível, mesmo com a larga experiências de vida em outros 8 planetas.

Com o tempo Peregrina passa a ter como dela todos os sentimentos de Melanie, todos os medos, anseios e todo o amor por outros seres humanos.

Elas acabam criando uma improvavél amizade, pois possuem o mesmo objetivo, proteger as pessoas que amam. Elas quase morrerem no deserto à procura de um possível abrigo onde Jared e Jamie estariam, até que o encontram, mas quantos acreditarão que Melanie ainda está consciente dentro de seu corpo?

A maior parte da história se passa quando Melanie e Peregrina se encontram com os humanos no abrigo, e lá é onde os acontecimentos se desenrrolam.

O livro mistura ficção-científica com romance, confesso que nunca havia visto temas como esses se enrrolarem tão naturalmente. Devido às duas consciências no corpo de Melanie Stryder, em muitos momentos mesmo se referindo à primeira pessoa, é utilizado o plural, o que deixa muito claro o que são ações que as duas personagens compartilham e quando os pensamentos são exclusivos de Melanie ou de Peregrina.

Conforme a história é desenvolvida o leitor é cada vez mais apanhado por uma simpatia por Peregrina, a personagem que talvez, a primeira vista, seria a grande vilã. E acaba sendo isso a dar o grande barato do livro, pois Peregrina é, sem dúvida, uma personagem maravilhosa, assim como Melanie. Se é justo que Melanie viva com o seu corpo, então é justo que Peregrina morra?

Para complicar a situação, dentre os humanos que estão no abrigo há Ian, que com o tempo se sente cada vez mais próximo de Peregrina pelo que ele conhece da alienígena, gerando ciúme em Jared, que apenas vê o corpo de Melanie e não a consciência alienígena que também habita alí. Dois homens, cada um apaixonado por uma consciência, que habita um mesmo corpo.

Embora o livro tenha toda essa dinâmica, não é o mais maravilhoso livro já lido. Não é “viciante”, da maneira que gosto de livros, quando você quer ler a história de uma maneira, que até sonha com ela, isso quando consegue dormir. Ele acaba sendo um livro mais romântico do que de ficção científica, depois que nos acostumamos com a questão de duas consciências em um corpo quase nada pode ser classificado como este gênero

Minha avaliação: Um livro legal para se passar um tempo gostoso de leitura, mas sem grandes emoções. Daria um bom fime/ série de TV, talvez não pela história em si, mas sim personagens apaixonantes.
3 estrelas

Em tempo: A capa do livro já dá a dica de que é da mesma escritora da saga “O Crepúsculo”, porém acredito que essa obra seja infinitamente melhor do que essa saga. Com personagens mais bem construídos e com uma proposta de ambientação muito melhor.

Anúncios